GPS financeiro

GPS financeiro: Se não sabe onde está, como chegar ao seu destino?

Ao usar um GPS ou mapa, necessita de saber essencialmente 2 coisas: Onde está e para onde vai. Similarmente, se deseja ser financeiramente independente, deve saber também onde está. Ao configurar o seu GPS financeiro mostra determinação para alcançar o seu destino mais rapidamente.


A analogia do GPS financeiro

Imagine que está para fazer uma viagem para um destino desconhecido. Pega no GPS e adiciona o destino pretendido mas o equipamento recusa-se a indicar-lhe a direção correta. Olha de relance e sem grandes dúvidas apercebe-se que o GPS ainda não sabe a sua localização atual. Configura essa informação, o GPS calcula a rota e está pronto para seguir viagem.

Acredito que este procedimento básico é óbvio para si. O caminho para o destino varia imensamente de acordo com o local onde está. Da mesma forma, se deseja ser financeiramente independente, porque não faz uma análise da sua situação financeira atual? Porque não identifica criteriosamente o seu fluxo de caixa, e acima de tudo, para onde o seu dinheiro está a ir? O seu GPS financeiro necessita de estar bem configurado.

Para onde vai o seu dinheiro?

Além da habilidade de identificar o seu fluxo de caixa, saber a distinção entre ativos e passivos e interiorizar o poder dos juros compostos, é vital que saiba verdadeiramente para onde está a ir o seu dinheiro.

É extremamente importante que olhe objectivamente para todos os seus gastos e os analise minuciosamente durante um longo período. Euro a euro, o seu dinheiro vai sumindo.  Já me disseram: – “E eu lá vou contabilizar um café de 0.60€?” Sim, afinal um único café por dia, perfaz um total de 220 € ao final do ano. E quem é que bebe um só café por dia? Lembra-se do primeiro post do blog em que analisei como pode ser necessário ter mais de 100 000€ parados numa conta a prazo para lhe pagar o seu café diário? Se não, releia aqui.

Este exercício de registar todas as suas despesas pode levá-lo ou não a cortar algumas despesas. A decisão cabe-lhe a si, de acordo com os seus valores e objetivos financeiros. Há no entanto uma enorme diferença. Passa a estar desperto, sabe que todas as despesas, mesmo as insignificantes podem fazer a diferença e que 0.60€ não são mais 0.60€. São 100 000€!

E agora, o que fazer?

Manenha o processo simples. O Excel ou o Google Sheets são mais do que suficientes. Para começar, não necessita de muito. Há 4 anos que uso apenas duas tabelas do Excel, uma delas com as seguintes colunas:

  • Data – A data da despesa;
  • Categoria – Pode ser, entre outros: Vestuário, Restaurantes, Higiene Pessoal, Diversão, Transporte, Saúde, Educação, Combustível, Reparações, Seguros, Eletricidade, Água, Internet, etc;
  • Beneficiário – Quem recebeu o pagamento;
  • Descrição – Descritivo da despesa e.g. Almoço / Café com amigos
  • Valor – O valor da despesa;
  • Total – O valor acumulado para o respetivo mês;

Adicionalmente, tenho uma outra tabela onde registo as despesas acumuladas por ano e mês. Se for talentoso com o Excel pode criar gráficos, tabelas pivot e outras coisas mais sofisticadas. O mais importante é que faça o registo e o analise como puder. Mais tarde, pode ir adicionando outras formas de visualizar as suas despesas.

Está preparado para ajustar o seu GPS financeiro ou ainda tem receio do que pode descobrir? 

Site Footer

Sliding Sidebar

Acerca de mim

Acerca de mim

Olá, chamo-me Sergio e sou apaixonado por finanças pessoais e independência financeira. Sou licenciado em Engenharia Informática e apesar do meu fascínio por finanças pessoais, não tenho formação oficial para lhe recomendar estratégias ou produtos de investimento. Analise de forma critica e construtiva o que escrevo e utilize o seu bom senso. Acima de tudo, seja 100% responsável pelas suas ações. Como dizia o Bruce Lee, "aproveite o que lhe é útil e rejeite o que não é". Dito isto, espero que juntos possamos traçar metas e definir objetivos para nos tornarmos financeiramente livres. Obrigado por me acompanhar.