Pare de estar falido

Estar falido para mim, é desesperadamente necessitar que o salário caia na conta para pagar as contas que se estão a vencer.


Lembro-me de ouvir em miúdo a expressão de que um homem sem dinheiro, até os cães lhe mijam nas pernas.

Essa imagem ainda hoje habita no meu consciente porque a representação foi emocionalmente forte para perceber a importância de não estar falido.

Não há mal nenhum em ser humilde e não ter dinheiro para fazer a vida que gostaríamos. Todos os trabalhos honestos são necessários e, alguns deles que são pior remunerados, são ainda mais importantes. A vida nem sempre é justa.

Casa, carro, mensalidade da água, eletricidade, telefone e internet. Tirando estas despesas pré-programadas, e algumas outras exceções, a regra é: se não há dinheiro, não há vícios.

As desculpas mais esfarrapadas que eu tenho ouvido são de pessoas que dizem não ligar ao dinheiro, ou que dinheiro não é importante e que, ainda dizem: Ah, eu mereço. A vida é curta. Tenho de aproveitar. Tretas!

  • Se não consegue colocar 10% do seu salário de lado, você está falido.
  • Se não tem dinheiro para cobrir pelo menos 3 meses de despesas, vocês está falido.
  • Se não sabe quanto dinheiro necessita por mês para sustentar a sua família, você está falido.
  • Se prefere ter uma televisão grande à segurança de ter um fundo de emergência, você está falido.
  • Se o desejo é imediatamente redirecionado para a compra de algo, muito provavelmente, você está falido.
  • Se está a ficar ofendido, muito provavelmente, você está falido.

Faça uma reviravolta financeira

Se você está falido, a primeira coisa que tem de abandonar é a mentalidade de vítima e ser responsável pelos seus atos e pelas suas circunstâncias.

Se tem crédito-habitação, tente renegociar. Há muitas empresas intermediadoras de crédito que estão disponíveis para encontrar melhores condições para o seu crédito gratuitamente. Elas geralmente ficam com uma comissão que obtém diretamente do banco.

Se está a usar cartão de crédito com opção de pagamento inferior a 100%, foque as suas energias para pagar o montante em atraso ASAP. E depois, queime todos os cartões de crédito que tiver. Você não precisa de cartões de crédito. Veja as 3 regras para usar cartão

Não compre por impulso.

Faça um planeamento e orçamento para as suas férias e outras despesas maiores. Só deve usar o dinheiro que conseguiu poupar tendo esse fim como objetivo.

Reveja as suas subscrições: Se o dinheiro não chega ao final do mês, cancele-as todas.

Coloque pelo menos 10% do seu salário de lado, até ter o equivalente a 3 meses de despesas. Depois, comece a investir. Se não tolerar risco, coloque o seu dinheiro nos melhores depósitos que encontrar ou em certificados de aforro.

Se não consegue colocar 10% do seu salário de lado, corte em tudo o que não seja essencial.

Pare de estar falido.

4 4 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
2 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Carlos Pereira
7 meses atrás

Olá Sérgio,
Uma sugestão, acrescentar a data em cada artigo. Ontem tive a ler os artigos desde o inicio do blog, perde-se a noção da data em que foram criados.
Cumprimentos,

Site Footer

Sliding Sidebar

About Me

About Me

Olá, chamo-me Sérgio e sou um apaixonado por investimentos e finanças pessoais. Espero partilhar algumas dicas e conhecimento para que possa alcançar mais rapidamente a sua independência financeira. Fique ligado e compartilhe também as suas ideias.

2
0
Would love your thoughts, please comment.x