Corretora Degiro: Avaliação

Avaliação Corretora Degiro: veja porque deve ou não usar

A corretora Degiro tem o melhor preçário do mercado e uma ampla oferta de produtos financeiros.
Funciona bem e é rápida em geral mas mesmo assim, poderá não ser indicada para o seu perfil.


Quando descobri a corretora Degiro há cerca de 2 anos, fiquei positivamente surpreso com o excelente preçário. Para alguns produtos, chega a ser +80% mais barato que qualquer outra corretora a operar em Portugal.

Mas como o preço não é tudo, tentarei abordar de seguida o que mais e menos gosto e também o que me causa uma certa frustração.

Degiro versus outras corretoras

A razão pela qual decidi focar este artigo na avaliação na Degiro e não tanto na comparação com outras corretoras, deve-se ao facto de atualmente ser a corretora que mais uso.

No entanto, e como já usei o Big e o Millennium BCP, poderei fazer eventuais referências para melhor clarificar algum aspeto.

Pontos Fortes

Os aspetos positivos que mais me cativam na Degiro, são os seguintes:

1. Comissões de corretagem excelentes

Para pequenos investidores com investimentos até 2000€, a poupança em comissões de corretagem chega a ultrapassar  +80% sobre o mercado nacional e +90% sobre o mercado americano. Além destes, há outros mercados que se tornam muito mais apelativos para investir.

Para quem faz muitas transações, a poupança pode rondar as centenas de euros ao longo de um ano. Definitivamente um ponto a avaliar.

Para entender a diferença sobre outra perspetiva, considere que compra 1000€ ações nacionais numa outra corretora com um custo de 7€ por transação. Para vender essas mesmas ações sem perder dinheiro, elas terão de subir 1.4%. Na Degiro, pagaria cerca de 0.90€ por transação, o que equivaleria a 0.18%. 

Pegando na analogia anterior para o mercado americano, a percentagem de corretagem poderia descer de 2.5% sobre o valor do investimento para 0.15%.

Com a Degiro, ganha liberdade para investir noutros mercados, com excelentes comissões, mesmo que com investimentos relativamente baixos.

2. Não tem comissões de custódia de títulos

Ah, aqui está um outro ponto que adoro. Pode dizer adeus aquelas comissões trimestrais de custódia de títulos.

Quase todas as corretoras gostam de aplicar uma taxa trimestralmente, mesmo que tenha apenas um único título em carteira. Em geral, cobram a cada 3 meses entre 7€ e 10€, o que se traduz numa poupança anual de +30.00€.

3. Acesso a milhares de títulos em +20 países

Pode investir em 20 países europeus. Além da Europa tem acesso aos mercados dos Estados Unidos da América, Canadá, Singapura, Austrália, Japão e Hong-Kong.

É muita diversidade. Lembra-se da estratégia de rendimento baseada em dividendos que falei num artigo anterior? Pode ter uma fonte de rendimento mensal, diversificando em vários mercados.

4. Preços em tempo real gratuitos para Lisboa, Amsterdão, Bruxelas e Paris

Para quem usa preferencialmente estes mercados, usufrui de cotações em tempo real gratuitas.

Para outros mercados, e caso não tenha uma estratégia de investimento de day trading, os 15 minutos de atraso são toleráveis.

Pode sempre optar por ativar o preçário em tempo real para mercados específicos, pagando de 1.5€ a 21€ por mercado, mensalmente. Neste caso, poderá ficar um pouco dispendioso.

5. Isenção de taxas de processamento de dividendos

É frustrante quando o retorno do seu dinheiro investido começa a desaparecer. Um pouco aqui, um pouco acolá. Mais uma taxa e outra comissão e você pode ficar com pouco mais de 0€.

Recordo-me que uma vez estava para receber um dividendo de cerca de 5€ através do Big. Qual não foi o meu espanto quando recebi pouco mais de 1€ limpos. Tirando o imposto deduzido na fonte de 28%, tinha também uma taxa de 2% para processamento de dividendos, cujo valor mínimo era de 2.5€. Sobre estes 2.5€, acrescia ainda o imposto de IVA. 80% do meu retorno eclipsou-se.

A Degiro não cobra taxas de processamento de dividendos, o que mais uma vez se pode traduzir numa grande poupança anual.

 6. Taxas de crédito super acessíveis

Se é um investidor experiente e tem um perfil de investidor menos avesso ao risco, pode usar crédito para investir.

A taxa de crédito da Degiro, para a divisa EUR, está indexado à taxa EONIA (com mínimo de 0%) + 1.25% ano. Como atualmente a taxa EONIA é negativa, a sua taxa de crédito é de apenas 1.25% / ano, o que é difícil de superar por qualquer outra instituição.

Se acreditar que a taxa EONIA se manterá negativa ou relativamente baixa, pode investir em ações que paguem dividendos com um dividendo yield de +5%.
Num cenário hipotético: Se usar crédito de 10000€ com um dividend yield de 5%, poderá ter um rendimento líquido anual de 235€, investindo e usando dinheiro que não é seu.

235€ = Rendimento dividendo – juros crédito – Imposto IRS

Rendimento dividendo = 10000€ x 5% = 500€
Imposto IRS = 500€ x 28% = 140€
Juros empréstimo = 10000€ x 1.25% = 125€

Nota Importante: Avalie sempre o risco acrescido de investir com crédito. O exemplo acima evidencia o investimento numa perspetiva positiva. Como fatores de risco, entre outros: a taxa EONIA pode subir, tornando o crédito mais caro. A empresa pode deixar de pagar dividendos, ou o preço da ação pode baixar drasticamente.

Não poderia deixar de dizer que a Degiro não “empresta” dinheiro sem garantias. Dependendo do tipo de conta que selecionar (Normal, active ou trader), pode necessitar de um colateral de 50% ou mais, em dinheiro ou títulos. E… se houver uma queda acentuada do mercado e não tiver fundos necessários para garantir o empréstimo, a Degiro poderá vender os títulos automaticamente, mesmo que esteja a perder dinheiro. Com isso, incorrerá também num conjunto de despesas e taxas amargas para a sua carteira.

7. Abertura de conta online

A abertura de conta na Degiro é super simples e poderá fazê-la em poucos minutos, sendo completamente online. No momento da 1a transferência para a Degiro, deverá escolher uma conta de contrapartida, que ficará associada até que a decida mudar manualmente.

A conta de contrapartida assegurará que qualquer transferência da Degiro seja efetuada para esta conta. Não é possível transferir dinheiro de e para a Degiro que não seja a que está registada no sistema.

Pontos Negativos

Apesar de todos os pontos positivos descritos acima, há também alguns com os quais não me identifica tanto. Uns são meras idiossincrasias, outros são mais profundos.

1. Comissões de conetividade

As comisões de conetividade são um nome pomposo para justificar a cobrança de cerca de 2.5€ /ano de acesso a determinados mercados (para aquisição de ações). Há outras taxas de conetividade para produtos financeiros mais sofisticados, pelo que deverá consultar o preçário atualizado.

2. Informação na conta corrente é uma confusão

Isto é definitivamente algo que a Degiro pode melhorar imenso. Ao fazer uma única transação, a Degiro polui literalmente o seu extrato.

Não me interpretem mal, eu gosto de ter informação sobre todas as taxas e comissões de forma explícita e transparente mas isto é demais. O extrato abaixo corresponde a uma única transação de compra no valor de 150 ações da empresa X.

Transações conta corrente para uma única transação na Degiro

Exemplo de extrato Degiro para uma única transação

Vejam a confusão. Se a transação é a mesma, o preço de compra foi igual para os 2 lotes, porque a Degiro acha “cool” apresentar a informação desta forma? Com 4 registos, teria acesso exatamente à mesma informação. Tal melhoraria a clareza, transparência e evidenciaria uma atenção ao detalhe focado no utilizador.

3. Taxa de 0.10% oculta no câmbio automático

O câmbio automático refere-se ao câmbio de divisas quando faz uma transação e.g. compra ou venda de títulos, numa moeda diferente da sua conta base. Por exemplo, se comprou ações em USD utilizando a sua conta EUR, vai haver uma conversão de EUR para USD.

Estas operações de câmbio automático estão sujeitas a uma taxa de 0.10%.

Além de tal já ser um custo acrescido, o problema agrava-se porque a taxa de 0.10% não aparece em qualquer registo. É agregada automaticamente ao valor da transação, o que permite a sua ocultação e falta de clareza. Além disso, creio que não está a respeitar a diretiva  ​MiFID II.

Ao contactar o serviço de apoio da Degiro para tentar perceber o seu entendimento sobre se a taxa deve ser clarificada para dar cumprimento à diretiva MiFID II, e após uns quantos emails, e um mês depois…
“A DEGIRO está constantemente a trabalhar em melhorias na sua plataforma, de forma a torná-la mais prática e transparente…” e bla bla bla.

Resposta frustrante e usual quando pretendem fugir a questões pertinentes. Creio que isso mina o ótimo serviço que estão a fazer noutras frentes.

4. Não apresentam informação prévia sobre a % de imposto retido na fonte sobre dividendos

Este foi um outro ponto que gerou uma longa sequência de emails até que desisti de tentar saber. Mais uma vez, acho que o serviço de apoio ao cliente falhou e passo a explicar porquê.

Reparei que o imposto sobre dividendos retido em ações portuguesas é de 35% e não de 28%, como esperava. Após várias iterações e emails, consigo perceber que uma vez que a Degiro está sediada na Holanda, poderá haver alguns mecanismos legais que impossibilitem, para já, a alteração do valor retido na fonte.

O que não entendo é o facto de quando questionada sobre a percentagem de imposto retido na fonte, para cada um dos mercados, não me saberem informar. Conclusão: Tem de obter primeiro o dividendo e depois calcular então quanto foi deduzido.

Isto é importante: Se comprar ações portuguesas e receber dividendos através da Degiro, esta retém na fonte 35% e não 28%. Por outro lado, há mercados em que nada é deduzido ou que é deduzido apenas 15%, como é o caso do mercado Americano (se tiver preenchido o formulário W-8BEN previamente).

5. Agregação de todas as mais e menos valias na determinação do lucro atual

Esta é provavelmente, o fator negativo mais forte (tirando o serviço de apoio).

Vamos a um exemplo: Imagine que tem ações da empresa X e que ao consultar a sua carteira aparece-lhe um resultado de +600€. Sem pensar muito, e contente com os 600€ de lucro, decide vender. Mas afinal, em vez da mais valia de 600€, obteve uma menos-valia de 100€. Como isto acontece?

O que acontece é que na visão atual, são agregadas todas as mais/menos valias e dividendos que obteve ao longo do tempo. Isto ofusca o verdadeiro lucro da sua carteira, pois não sabe de forma clara se fechando a sua posição lhe trará lucro ou prejuízo. Para tal, deverá ter um sistema à parte que lhe permita contabilizar os títulos em carteira.

Acho que o gestor de produto da Degiro deveria começar a usar o serviço para comprar e vender ações 🙂

6. Incoerência na conta corrente. Registos lançados com data anterior à data atual.

Mais um pequeno erro de design que se torna confuso. Os registos de conta corrente deveriam ser lineares no tempo. Se hoje é dia 20, não deveria ser possível adicionar registos com data inferior à data de hoje.

Isto acontece por exemplo quando é creditado o valor de dividendos. Na maioria das vezes, são registados em até 3 dias anteriores à data atual (se o fim de semana estiver pelo meio), sendo esses registos inseridos entre outras transações que já foram registadas.

7. O serviço de atendimento ao cliente não é personalizado

De forma a oferecer os melhores preços do mercado, há outros aspetos que são deixados de lado.

A própria Degiro esclarece que não têm qualquer serviço de recomendação, avaliação de empresas etc. Se espera que eles esclareçam alguma questão relativa a IRS, preenchimento da declaração, dividendos ou mais valias, nem vale a pena contactá-los.  Se o fizer, poderá obter respostas frustrantes.

Além de não ser personalizado, sinto que as sugestões de melhoramento da plataforma são ignoradas e que fogem a perguntas pertinentes. As suas respostas são muitas vezes vazias e desprovidas de qualquer valor. (Opinião puramente pessoal com base em experiência)

Como saber se a Degiro se adequa ao seu perfil

Se acha que poderá ter muitas questões e gosta de ter um bom serviço de apoio, a Degiro não se adequa ao seu perfil, pelo menos para já.

Pela minha experiência, ficaria muito mais bem servido com o serviço de apoio do Big. Por diversas vezes obtive um excelente serviço por email, telefone e presencialmente nos seus balcões.

Conclusão

Espero ter ajudado a clarificar alguns dos aspetos que considero mais importantes na avaliação da Degiro, tanto positivos, como negativos.

Acredito que hajam muitos outros que poderiam ser enunciados mas foquei o artigo com base na minha experiência e no tipo de produtos em que invisto.

Se tiver alguma questão adicional, deixe um comentário ou envie uma mensagem através do facebook ou página de contacto. Tentarei responder tão rápido quanto possível.

E você, qual a corretora que usa?

Nota:
A 15-08-2018, a DeGiro fez alterações ao seu preçário e incluiu uma sobretaxa nas comissões: Veja o que mudou aqui.

Site Footer

Sliding Sidebar

Acerca de mim

Acerca de mim

Olá, chamo-me Sergio e sou apaixonado por finanças pessoais e independência financeira. Sou licenciado em Engenharia Informática e apesar do meu fascínio por finanças pessoais, não tenho formação oficial para lhe recomendar estratégias ou produtos de investimento. Analise de forma critica e construtiva o que escrevo e utilize o seu bom senso. Acima de tudo, seja 100% responsável pelas suas ações. Como dizia o Bruce Lee, "aproveite o que lhe é útil e rejeite o que não é". Dito isto, espero que juntos possamos traçar metas e definir objetivos para nos tornarmos financeiramente livres. Obrigado por me acompanhar.