Independência financeira

Rumo à Independência Financeira

Sabia que não necessita de ser milionário para ser financeiramente independente? Calcule o seu Rácio de Independência Financeira para saber de quanto necessita para viver confortavelmente.


Há um sonho na mente humana que nos faz desejar sermos milionários. Acreditamos que se tivermos um milhão, podemos fazer tudo o que quisermos e claro, ser muito felizes. Ah, essa hipotética felicidade que nos abandona quando a alcançamos.

Antes de embarcar nesta aventura, lembre-se que não vai alcançar a derradeira felicidade ao atingir as suas metas financeiras.

Pode ter uma vida mais confortável, ter acesso a experiências fantásticas, assegurar o futuro da sua família, ter uma casa excelente e o carro desportivo com que sempre sonhou. Mas tal não é sinónimo de pura felicidade.

Se não acredita no que lhe estou a dizer, pare um pouco para refletir no seguinte.

Para os pais, os filhos valem infinitamente mais que um milhão, o que implica que não aceitariam trocá-los por qualquer valor monetário. Se mesmo o prazer, emoções e todas as alegrias que os filhos lhes trazem, não são suficientes para o deixarem num estado de felicidade puro, como poderá o dinheiro fazer isso?

O que é ser financeiramente independente?

Para mim, ser financeiramente independente é ter o dinheiro suficiente (ou fluxo de caixa) que me permita não pensar em dinheiro. Simples assim.

É claro que esta definição minimalista levanta uma outra questão importante.

Qual o montante que me permite ter uma vida confortável, uma casa acolhedora, um bom carro, providenciar as necessidades da minha família e experienciar o Mundo de uma forma descontraída?

Para alguns, um rendimento passivo de 2000€ é mais do que suficiente. Para outros, 10.000€ dá para pagar apenas uma fração dos seus luxos. E você, de quanto necessita mensalmente para se sentir financeiramente livre e independente?

Indo um pouco mais além, podemos categorizar a independência financeira em 2 níveis:

  • Independência Financeira Nível I – Você atinge o nível I quando consegue pagar todas as suas despesas correntes com rendimentos passivos. Geralmente, está ainda a receber um salário, o que lhe permite poupar ou investir 100% do mesmo. Tal permite aumentar consideravelmente o potencial de futuros rendimentos passivos. É uma bola de neve que joga a seu favor.
  • Independência Financeira Nível II – Você atinge o nível II quando consegue financiar o estilo de vida que sonhou quando ainda estava no nível anterior. 2000€ no nível I podem ser suficientes para assegurar todas as suas despesas correntes mas não lhe permitir aceder a algumas das “extravagâncias” de que gostaria. 3000€ pode ser então o valor mágico que lhe permite ter a qualidade de vida que deseja, e quem sabe, ainda poupar uma percentagem.

Como ser financeiramente independente?

Agora que sabemos o que é ser financeiramente independente, vamos ver quais os passos necessários para atingir essa liberdade.

  1. Identificar o total de despesas atuais. Identificar o montante de todas as suas despesas atuais, se está a querer atingir o nível I, ou o montante que acha que necessita para atingir o nível II.
  2. Identificar o valor dos seus rendimento passivos.
  3. Calcular o Rácio de Independência Financeira (RIF).  O RIF é calculado dividindo o total de rendimentos passivos ao valor das suas despesas. Para mais detalhes sobre como calcular o RIF, clique aqui para reler o post anterior.
  4. Continuar a aumentar a sua receita passiva. Se o seu RIF é igual ou superior a 100%, parabéns! É financeiramente livre e espero que use o seu tempo para projetos que lhe dêm prazer e que beneficiem a sua comunidade. Se não é, continue a:
    1. Reduzir ao máximo o seu crédito bancário e outras dívidas. Se consegue obter uma taxa de retorno dos seus investimentos superior à taxa de crédito, pode ignorar este conselho.
    2. Reduzir despesas que não lhe tragam realização a médio ou longo prazo. Está a pensar comprar aquele drone que usará apenas durante a primeira semana?
    3. Reduzir despesas correntes. Poderá reduzir o consumo de água, eletricidade, combustível etc.
    4. Vender “coisas” de que já não necessita. Talvez tenha um computador, uma torradeira ou livros que já não usa. Porque não limpar a casa e obter um dinheiro extra?
    5. Poupar o que puder sobre o seu salário. Se está a poupar 10%, tente aumentar para 11%, 12% ou 15%. Pode também mudar para um emprego que pague consideravelmente melhor;
    6. Reinvista 100% do retorno dos seus investimentos.
    7. Investir o seu tempo na criação de ideias, projetos e negócios que necessitem de pouca manutenção ou apenas de um esforço inicial. Procure alternativas.

Receita passiva e poupança

Acabamos de ler que há várias formas de aumentar a sua receita passiva e que estas se dividem em:

  • Métodos aditivos – Ao fazer mais disto, obtém mais receita passiva. Exemplo: Mais poupança, mais reinvestimento, mais fontes de rendimento etc.
  • Métodos subtrativos – Ao fazer menos disto, obtém mais receita. Menos “coisas”, menos despesas etc.

A poupança é a diferença entre o que entra e o que sai. Lembre-se que não adianta aumentar os seus rendimentos em 50% se as suas despesas aumentam também 50%. Há uma relação importante entre o que põe dinheiro no seu bolso e o que tira dinheiro do seu bolso. Se aumenta os dois de forma proporcional, não está a investir na sua liberdade financeira.

Se progressivamente não tem mais rendimentos do que despesas, é porque provavelmente a gratificação instantânea tomou o controlo das suas finanças.

E agora, quais os próximos passos?

A esta altura temos quase o esboço dos limites do mapa que iremos explorar. A decisão de caminhar no terreno a si pertence mas qualquer que seja, espero que a tome de forma consciente. Lembre-se, tome 100% de responsabilidade sobre a sua vida. Não dê desculpas, faça o que puder, com o que tiver, onde estiver. 

Sugiro que:

  1. Comece por escrever porque quer ser financeiramente independente. Acredito que este truque simples lhe traga a motivação, discernimento e força de vontade para pôr em prática o seu plano.
  2. De seguida, posicione-se. Onde está e para onde quer ir? Qualquer sistema de GPS necessita de 2 entradas: a localização atual e o destino. Qual o seu RIF?
  3. E por último, comece a implementar algumas coisas simples que você já sabe. Poupar e reinvestir mais, gastar menos. Utilize algumas das ideias acima. Qualquer uma, mas comece.

Nos próximos posts irei contextualizar ainda mais o conceito da independência financeira e abordar métodos específicos que o ajudem a aumentar o seu RIF. Conto consigo.

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Site Footer

Sliding Sidebar

About Me

About Me

Olá, chamo-me Sérgio e sou um apaixonado por investimentos e finanças pessoais. Espero partilhar algumas dicas e conhecimento para que possa alcançar mais rapidamente a sua independência financeira. Fique ligado e compartilhe também as suas ideias.

0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x