Anexo G - IRS

Como preencher anexo G IRS – Mais valias de ações (Parte II)

A segunda parte do artigo sobre como preencher o anexo G do IRS chegou e traz a ajuda de um pequeno programa para o auxiliar nessa tarefa.


Se ainda não leu a primeira parte do artigo, clique aqui. Mais abaixo vai aprender a usar um programa que construí para o ajudar. Continue a ler com atenção.

Eu diria que para quem faz algumas transações de títulos com várias compras e vendas que não “casam” completamente, é mais difícil apurar os resultados e preencher a tabela 9 do anexo G do que pagar os impostos devidos. Só apetece dizer às finanças: – “Apurem-me os lucros e eu pago alegremente os impostos devidos. Mas não me façam perder tempo”

Entendendo o problema

Imagine que fez as transações abaixo durante o ano de 2018. Para simplificar, todas as operações são sobre um único título e todos os títulos comprados, foram também vendidos em 2018. Olhando rapidamente para as transações, poderemos ser levados a pensar que daqui resultam apenas 2 linhas que teremos de preencher na tabela 9 do anexo G mas pode não ser bem assim.

O que acontece neste caso, é que a realização do dia 10 Fev. não “casa” completamente com o número de títulos adquiridos. Assim, há a necessidade de criar um registo para uma compra/venda de 50 títulos, sendo posteriormente adquirdos mais 200 títulos no dia 10 Maio. Neste dia, temos em carteira 250 títulos que foram comprados em 2 momentos distintos: 50 no dia 29 de Janeiro e mais 200 comprados no dia 10 Maio.

Ora, quando se decide vender todos os títulos no dia 26 de Julho, tem de se adicionar 2 linhas adicionais. Uma respeitante aos 50 títulos e outra aos 200, sendo que os valores a apurar das transações e das despesas devem ser proporcionalmente distribuídos. Por exemplo, quando vendeu os 50 títulos, as depesas totais foram de 15 euros (10 euros sobre a venda e 5 euros, equivalente a 50% da transação de compra)

Na prática, teremos de apurar e preencher o quadro 9 do anexo G com os seguintes valores:

Vimos assim que 4 transações deram origem a 3 linhas para apuramento do IRS mas poderiam originar ainda mais, caso vendesse os títulos de forma mais faseada. Juntando isto ao facto de ter transações que passam de uns anos para outros e de ter dezenas de transações, necessita mesmo de muita paciência e rigor para cumprir a lei. Não é fácil ser contribuinte.

Porque as corretoras não podem ajudar?

Uma pergunta que todos fazemos é – “Porque as corretoras não apresentam um documento com estes apuramentos efectuados para que seja mais fácil reportar no modelo do IRS?“. Eu acredito que elas poderiam facultar informações mais detalhadas mas seria sua responsabilidade validar se está tudo OK pelas seguintes razões:

  1. O apuramento das realizações deve ser efetuado segundo a sequência conhecida como FIFO (First-In First-Out) independentemente da instituição usada para transacionar os títulos.
  2. As corretoras não têm (penso eu) conhecimento dos títulos que comprou em outras instituições.

Isto quer dizer que transacionando títulos em múltiplas corretoras, deverá contabilizá-los pela data da transação independente da instituição.

Qual a solução?

Em vez de explicar com palavras o que necessita de fazer, resolvi criar uma prova de conceito que o possa ajudar a analizar os seus rendimentos e posteriormente a preencher o anexo G de forma mais fácil e eficiente. Para tal, criei um documento no Google Sheets que poderá copiar e usar para registar todas as suas transações. A qualquer momento, pode aceder à opção do menu e gerar automaticamente o relatório de transações.

O documento que partilho não é editável e por isso terá de fazer uma cópia do mesmo. A vantagem é que após a cópia, esse documento pertence-lhe a si e mais ninguém tem acesso ao mesmo a não ser que o partilhe.

Como usar o modelo TaoFinance: AnexoG v. 0.1

Para poder começar a usar as funcionalidades do documento, siga os passos seguintes:

1. Aceda ao documento “TaoFinance: AnexoG v.01”

Clique no seguinte link. Como pode verificar, não tem permissões para editar o documento mas poderá fazer uma cópia para si.

2. Crie uma cópia do documento

De seguida irá fazer uma cópia do documento para processar as suas transações. Certifique-se que faz previamente o login com a sua conta do Google pois sem isso não poderá fazer a cópia. Esse documento vai ficar associado à sua conta Google e só poderá ser acedido por si oua quem der permissões. Para fazer a cópia, aceda ao menu

Para fazer a cópia do documento, aceda ao menu File -> Make a Copy.. e atribua-lhe um nome.

3. Preencha as suas transações de compra/venda

Preencha todas as suas transações na folha de cálculo “Transactions” seguindo o mesmo esquema dos dados pré-inseridos. Esta folha de cálculo tem 7 colunas e o seu preenchimento é obrigatório à exceção da primeira coluna, que representa o número da linha.

Segue uma breve descrição do que deve preencher em cada coluna.

  • # – Campo opcional onde poderá colocar o número da transação
  • Date – Data em que a transação foi realizada. O valor desta coluna deve ser do tipo data. Para confirmar, faça duplo-clique sobre a célula e se aparecer uma caixa de seleção de data, está OK. 🙂
  • Ticker – Qualquer descrição que use para identificar um determinado título. Pode usar o nome completo ou abreviado sendo que a regra de ouro é que utilize sempre o mesmo identificador para cada título nas várias transações.
  • Type – Define o tipo da transação. Use “Buy” para transações de compra e “Sell” para as transações de venda.
  • Shares – Refere-se ao número de títulos transacionados nessa operação
  • Price – Preço unitário de cada título
  • Fees – O valor das comissões bancárias que a sua corretora lhe cobrou pela operação. Se não leu a primeira parte do artigo ou já não se lembra, veja aqui porque é importante identificar todas as comissões e encargos cobrados.

Nota: Todas as linhas desta folha de cálculo devem estar corretamente preenchidas e não deve alterar o nome da folha. Caso contrário, o seu relatório não será gerado.

4. Gerar o relatório

E agora vem a parte mais fácil. Após preencher as suas transações corretamente, aceda ao menu TaoFinance -> Gerar Relatório Anexo G e a mágica começa a acontecer 🙂

Se fez tudo bem até aqui, verá que foi criada uma nova folha de cálculo com o nome “Transactions-AnexoG” com todas as linhas necessárias para o preenchimento do seu IRS. Dependendo das transações inseridas, poderá ter registos de anos que não devem ser reportados em 2018. Nesse caso, filtre apenas as linhas cuja data de realização seja de 2018.

Sempre que atualizar a folha de cálculo com as suas transações, basta clicar novamente na opção do menu “Gerar Relatório Anexo G” e terá assim a sua listagem pronta para copiar para a sua declaração de IRS.

Melhoramentos Futuros

Apesar de considerar este processo muito prático, vejo ainda imensas melhorias que podem ser efetuadas. Por exemplo, agrupar transações de um determinado título por ano (quem faz day-trading pode ter centenas de transações num só ano), melhorar o design das tabelas geradas, filtros por ano etc.

Adoraria ouvir a sua opinião e saber se este processo é prático ou útil para si. Deixe o seu comentário abaixo ou escreva-me com sugestões de melhoria acedendo a este formulário de contacto.

Site Footer

Sliding Sidebar

Acerca de mim

Acerca de mim

Olá, chamo-me Sergio e sou apaixonado por finanças pessoais e independência financeira. Sou licenciado em Engenharia Informática e apesar do meu fascínio por finanças pessoais, não tenho formação oficial para lhe recomendar estratégias ou produtos de investimento. Analise de forma critica e construtiva o que escrevo e utilize o seu bom senso. Acima de tudo, seja 100% responsável pelas suas ações. Como dizia o Bruce Lee, "aproveite o que lhe é útil e rejeite o que não é". Dito isto, espero que juntos possamos traçar metas e definir objetivos para nos tornarmos financeiramente livres. Obrigado por me acompanhar.